Norte de Minas Gerais/Brasil

2.12.10

VIVEIRO DOIS RIACHOS

O Viveiro Dois Riachos possue muitas variedades des mudas frutíferas, ornamentais e florestais ( Eucalypto ).

No Endereço: Avenida Leonardo Pinheiro, Zona Rural S/N


                           Vargem Grande do Rio Pardo/MG.

20.5.10

11º ENDUREQUESTRE DE VARGEM GRANDE DO RIO PARDO

O 11º Enduro Equestre de Vargem Grande do Rio Pardo, enfatizou o desenvolvimento das atividades ambientais e sua gestão, pois agregou os valores éticos, ecológicos, morais e sociais. Por se tratar de um evento que envolveu a qualidade de vida da população, atendendo para as questões da comunidade rural e também urbana, o evento mostrou-se relevante para despertar a conscientização ambiental, de toda uma comunidade, como profissionais liberais, funcionários públicos, agricultores e demais. De acordo com o Gerente da Unidade Regional da EMATER-MG de Salinas, o Senhor Reginaldo Angelo de Sousa, "a comunidade de Vargem Grande só teve a ganhar com a inicitiva das pessoas envolvidas na realização do mesmo. Seus resultados proporcionaram a prática da preservação dos recursos hídricos, do solo, do ar, contribuíndo assim para a revitalização de toda uma biodiversidade específica da região. o que é ainda mais importante, inserido o homem no contexto."

Houve distribuição de mudas, uma iniciativa do extensionista Marcelo Ângelo dos Santos da EMATER-MG, do município de Vargem Grande do Rio Pardo,  aproximadamente 300 mudas, com plantio de 15 mudas em Volta da Barragem do Sr. Osvaldo Amorim, outras destinadas para o Dia do Meio Ambiente, no dia 05 de junho, e o restante foi distribuído entre os Associados da Associação Eqüestre de Vargem Grande que plantou às margens das nascentes com o intuito de Preservar A Natureza .
O EVENTO TEVE COMO  PROGRAMAÇÃO, COM PARTICIPAÇÃO DE MAIS OU MENOS 300 CAVALEIROS:

DIA 22/05:
- RECEPÇÃO DOS CAVALEIROS 17:00
18:00 - JANTAR
- Hospedagem
- FESTA DE BANDA COM RECEPÇÃO REGIONAL
DIA 23/05:
- CAFÉ DA MANHÃ 08:00
09:30 - SAIDA
- VISITA COM A NASCENTE DE ENTREGA Informativos SOBRE Preservação NASCENTE E DE TURISMO RURAL. SEBRAE E EMATER 10:30
- Chegada Vargem Grande EM DO RIO PARDO 13:00
- ALMOÇO COM Churrasco 14:00
- SHOW COM 15:00 Encerramento DE VIOLA

19.5.10

6ª FERARP - FEIRA DO TERRITÓRIO ALTO DO RIO PARDO


Derivados do pequi, mandioca e leite, como biscoitos, doces, óleo, conservas, queijos, beiju, farinha e polvilho, entres outros, foram comercializados na 6ª Feira Regional do Alto Rio Pardo (Ferarp), em Taiobeiras, nos dias 13 a 16 de maio. A Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural do Estado de Minas Gerais (Emater-MG) participou do evento, organizando os agricultores presentes no espaço reservado à agricultura familiar. Aconteceu juntamente com a  Feira, o 4º Fórum da Silvicultura do Território Alto Rio Pardo, nos dias 14 e 15. Os coordenadores técnicos estaduais José Alberto de Ávila (Bovinocultura) e Ivo Pêra (Silvicultura)  debateram o tema “Integração Agricultura, Pecuária e Silvicultura”, segundo o gerente regional de Salinas, Reginaldo Ângelo de Sousa. Para o gerente da Emater-MG, a discussão faz sentido, uma vez que a “a silvicultura é uma atividade que está se destacando na região, geralmente castigada pela seca, como mais uma alternativa de renda para o produtor familiar”.
 O município de Taiobeira faz parte da regional Emater-MG de Salinas. Segundo a extensionista da EMATER local, Maria Shirley Teixeira, a produção familiar em Taiobeiras é bem significativa. “A agricultura familiar tem um peso importante aqui, apesar de a população urbana do município ser maior que a rural”, pondera. De acordo com a técnica, o escritório da Emater-MG local atende 36 organizações comunitárias rurais em 23 comunidades do meio rural.
A 6ª Ferap é uma realização da Prefeitura de Taiobeiras. O evento, reuniu a produção de segmentos da indústria, agroindústria, cultura e serviços da microrregião do Alto Rio Pardo, no Norte de Minas. A feira aconteceu junto à Festa de Maio, evento cultural do município que se repete há 54 anos.

20.4.10

OS 7 PRINCIPAIS BENEFÍCIOS DO TIJOLO ECOLÓGICO

1. ESTRUTURA - As colunas são embutidas em seus furos, distribuindo melhor a carga de peso sobre as paredes. CRIANDO UMA ESTRUTURA MUITO MAIS SEGURA!
2. INSTALAÇÕES HIDRÁULICAS - Toda a tubulação é embutida em seus furos dispensando a quebra de paredes, como na alvenaria convencional. SEM DESPERCÍOS COM "QUEBRA-QUEBRA"!
3. INSTALAÇÕES ELÉTRICAS - Como as instalações hidráulicas, também são embutidas nos furos, dispensando conduites e caixas de luz, podendo os interruptores e tomadas serem fixados, diretamente sobre os tijolos. A PRATICIDADE DESTE TIJOLO FARÁ SUA OBRA SER MUITO MAIS RÁPIDA!
4. ISOLAMENTO TÉRMICO (CALOR) - O furo dos tijolos, são importantes pois formam câmaras térmicas evitando com isso que o calor que esta do lado de fora penetre no interior da residência. Com isso a temperatura interna é inferior a externa. TEMPERATURA SEMPRE AQUECIDA NOS DIAS FRIOS!
5. ISOLAMENTO TÉRMICO (FRIO) - Com o Frio acontece ao contrario, pois a temperatura da casa fica mais quente do que a externa. UMA CASA BEM FRESCA NAQUELES DIAS DE CALOR INTENSO!
6. ISOLAMENTO ACÚSTICO - Como o tijolo modular possui dois furos, as paredes formam um isolamento acústico, diminuindo os ruídos provocados na rua para o interior da casa.
7. PROTEÇÃO DE UMIDADE - Esses furos também propiciam a evaporação do ar, evitando com isso, a formação de umidade nas paredes e interior da construção, que causa danos à saúde e danos materiais.
O município de Salinas já possui uma fábrica de tijolos ecológicos, para saber mais, envie e-mail para: gilsong12@yahoo.com.br

16.4.10

MUNICÍPIO DE TAIOBEIRAS

Com o apoio da Prefeitura Municipal desta cidade e da Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural do Estado de Minas Gerais (Emater-MG), a comunidade rural de Lagoa Grande realizou, nos dias 27 e 28 de fevereiro, a 17ª Festa do Pequi. O evento é uma iniciativa da Associação dos Moradores e o principal objetivo é resgatar e valorizar a cultura do pequi na região.

“A festa já virou tradição e todo ano tem alguma uma novidade. Este ano foi promovido um concurso de fotografia”, informou a extensionista Maria Sirlei Teixeira, da Emater. Conforme os organizadores, cerca de cinco mil pessoas prestigiaram a festa este ano, que teve variadas atrações musicais, teatro, cavalgada, torneios esportivos e concurso de redação, além do esperado concurso de roedor de pequi.
Todos os anos, a comunidade é transformada com a festa e os moradores não escondem o orgulho de promover o evento, já que o pequi é uma das principais fontes de renda local. Além das tradicionais barraquinhas com comidas típicas, o evento teve como destaque um animado Passeio Ciclístico Ecológico, inclusive com palestra sobre a preservação do Cerrado e de frutas típicas, como o araticum. Na oportunidade, os participantes plantaram mudas de plantas nativas do Cerrado.


"O pequizeiro é uma árvore do cerrado. Das chapadas nasce, cresce e frutifica, apesar da hostilidade da terra e dos homens. É como as aves do céu, os peixes dos rios, como pastagens nativas como todos os frutos silvestres. Não tem dono certo. Dono é quem os colheu. Por isso é que quando o pequi começa a soltar os frutos, os campos se povoam de mulheres, homens e crianças. O convite se espalha. Os moradores próximos do pequizeiro levantam cedo. Os frutos sazonados caem durante a noite. Um pequizeiro pode produzir até seis mil frutos, que vão amadurecendo paulatinamente e caindo... Quem chega primeiro pega maior numero de frutos... "

Para mais detalhes, consulte: taiobeiras@emater.mg.gov.br

31.3.10

CRIATIVIDADE RURAL - Boas Idéias para melhorar a Vida no Campo

Idéias aparentemente banais podem se tornar importante ferramentas para solucionar ou fazer frente a problemas vividos pelo homem do campo e os recusos podem estar bem perto do produtor rural. Afinal sempre há materiais de baixo custo, na própria propriedade rural, que podem ser aproveitados ou reutilizados de modo criativo, gerando novas tecnologias para facilitar o trabalho e a vida de quem vive no meio rural.
E o que a EMATER/MG, tem incentivado através do Prêmio Emater-Mg de Criatividade Rural, com o propósito de valorizar e estimular boas ideías dos agricultores, para melhorar a vida no campo, marcado pela troca de conhecimentos, o concurso é dirigido a agricultores e pecuaristas do Estatdo, assistidos por um extensionista, que pode pertencer a instituições públicas ou privadas.
Mesmo os inventos mais simples tem chances de ganhar,  o intuito é motivar os agricultores a ter ideías criativas e com baixo custo, mas com grande efeito na produtividade ou no bem-estar das famílias rurais.
Inventos como um mecanismo mais prático para fechar uma porteira ou um modo eficiente de preparar a alimentação do gado, armadiilha para livrar o gado do ataque das moscas-dos-chifres, máquina de fazer espeto de bambu, ferramenta manual para colher grãos, são algumas das idéias.

Para mais detalhes acesse:  http://www.emater.mg.gov.br/

26.3.10

MUNICÍPIO DE FRUTA DE LEITE

No município de Fruta de Leite foi iniciado no ano de 2009 o Banco de sementes de adubos verdes. Foi implantada uma área com a Crotalária Juncea, leguminosa de crescimento muito rápido e vigoroso que apresenta um bom controle de plantas invasoras e, também, uma boa produção de massa verde e fixação de nitrogênio. Estas Plantas produzem fibras e celulose de alta qualidade e são pouco exigentes em relação a fertilidade dos terrenos onde são plantadas, além de possuírem ampla adaptação em regiões tropicais. A idéia é de proporcionar aos produtores uma forma de aumentarem a produtividade sem aumentar os custos de produção e principalmente reduzir o uso de produtos químicos evitando a degradação ambiental.
Para contato: fruta.leite@emater.mg.gov.br

1.3.10

SANEAMENTO NO MEIO RURAL

O município de Salinas, tem muito a crescer, especialmente no que diz respeito a adotar tecnologias construtivas como alternativas para suas atividades rurais, no sentido de amenizar os impactos ambientais, em prol do saneamento no meio rural, como exemplo pode citar: A utilização de cisterna como utilização da águas da chuva para uso do ser humano, bem como para desenvolver as suas atividades rurais, como a reutilização da água da pia nas plantações, tornando eficiente o uso da água e ainda fazer tratamento da água para o consumo humano buscando alternativas, como exemplo o uso do filtro de areia. A utilização de plantas para tratamento do esgoto doméstico, como taboa, lírio do brejo, bambu, e o processo fito-pedagógico aplicado no tratamento de efluentes domésticos. O uso de microalgas para tratamento de resíduos das atividades agropecuárias e culturas, além de ajudar na purificação dos efluentes, a biomassa alga produzida tem alto valor biológico e econômico.

ASSISTA O VÍDEO:
 http://www.emater.mg.gov.br/portal.cgi?flagweb=site_pgn_video_minas_rural&id=3489


PARA SABER MAIS ACESSE: http://www.embrapa.gov.br/, http://www.mda.gov.br/portal


12.2.10

BIODIESEL


Considerando-se que o combustível fóssil ( que não é renovável) irá se esgotar, faz-se necessário a adoção de outras matrizes energéticas. O biodiesel, que um óleo vegetal feito a partir da mamona, girassol, amendoim, soja e outras plantas oleaginosas, passa a ser uma das alternativas para suprir esta fonte do petróleo, porém de forma limpa e bem menos poluente.
O município de Salinas possue o Programa Biodiesel, que consiste numa parceria entre a Petrobrás Biocombustíveis com uma unidade montada em Montes Claros e a EMATER-MG, que fomenta junto aos agricultores familiares o plantio e a assistência técnica individualizada. O Programa Biodiesel em Salinas começou em 2007 com 38 produtores cadastrados e 17 plantaram, em 2008 chegou a cadastrar 87 agricultores familiares, sendo 53 plantaram e colheram no ano de 2009/2010, ainda conta com 115 produtores cadastrados, mas somente 62 plantaram em razão da falta de chuva. Dentre os 71 municípios envolvidos no Programa no ano agrícola 2008/2009, Salinas se posicinou em 15º lugar em adesões de produtores e também em volume produzido.
Para mais detalhes, consulte: http://www.biodiesel.gov.br/

DESTAQUES EM SALINAS



São destaque em Salinas:

  • O mercado municipal, que se tornou destaque da cidade, devido a diversidade de produtos oferecidos pelos agricultores, que ali comercializam os seu produtos produzidos nas comunidades rurais do município, como: artesanatos, requeijão, queijo, verduras e frutas variadas, biscoitos e doces caseiros, entre eles o doce mais procurado é a rapadura, o tijolo e a batida, comidas típicas, entre elas, o frango caipira, o feijão tropeiro, o arroz com pequi, e a farofa de sangrador, e também pastéis feitos na hora.

  • São realizadas palestras pela EMATER/ MG de Salinas nas escolas situadas nas comunidades rurais, conscientizando sobre o uso de produtos orgânicos e conservação do meio ambiente.

  • Passeata realizada para Mobilização Ambiental leva mais de 6.000 pessoas à passarela da Alegria, o evento contou com a participação de diversos órgãos estaduais e federais, além das escolas municipais, estaduais, federais e particulares, ao som de músicas que falavam da preservação ambiental, foram distribuidos folhetos explicativos por diversos órgãos estaduais no sentido de informar como podemos desenvolver ações que reduzam os impactos ambientais.

PRODUTOR RURAL, SE DESTACA NA PRESERVAÇÃO AMBIENTAL NO MUNICÍPIO DE SALINAS



Antônio Gilberto é um agricultor familiar pai de quatro filhos, que ocupa 5 ha de terra cedido pelo sogro, na região do bananal, na comunidade Canela Dema. Nesta área, onde vive, desenvolve atividades como: horticultura orgânica, criação de pequenos animais, extração de polpas de frutas. E através destas atividades, o mesmo se destaca na forma de cultivar, pois há mais de 10 anos tomou uma decisão, depois de participar de um curso no CAA e outros na EMATER-MG em Salinas, sobre a importância de cultivar sem a utilização de Agrotóxico. Ele tem como objetivo vender um produto mais saudável, e principalmente evitar contaminação do solo e da água e a própria contaminação na hora da aplicação.
Antônio Gilberto foi o primeiro a participar do Programa adubo verde, programa pioneiro na região de Salinas, comercializa seus produtos no programa de compra direta da CONAB e o restante no mercado municipal, onde divulga seus produtos, com cartazes identificando-os como orgânicos, e possui clientes especiais que passaram por problemas canceriginos, ou adeptos de alimentação saudável. A terra onde produz esta próxima do rio bananal, e por este motivo faz praticas conservacionistas, cuidando da mata ciliar e manejo do solo para evitar erosões, com plantio em nível e incorporação de material orgânico. É associado assíduo, participa e valoriza as reuniões comunitárias, onde é um defensor da natureza e procura conscientizar seus vizinhos e amigos. Nas reuniões das associações sempre quando tem oportunidade, conta as suas experiências.

ADUBO VERDE


Em um mundo cada vez mais necessitado de ações que valorizem a preservação ambiental, a adubação verde, uma das variedades de adubação orgânica, tem-se firmado como uma opção para o cultivo de variadas lavouras. A técnica utiliza matéria orgânica, gerada a partir do cultivo de plantas, para adubar o solo, diminuindo ou eliminando o uso de fertilizantes químicos. Vantagem para o meio ambiente, o produtor e o consumidor dos alimentos produzidos no campo.
A prática da Adubação Verde consiste no plantio e no corte de plantas em pleno florescimento, deixando a fitomassa cortada na superfície do solo para decomposição ou sendo enterrada. As plantas também podem ser cultivadas até a colheita de suas sementes, garantindo uma renda extra ao agricultor, de acordo com a Cartilha para Agricultores/Banco Comunitário de Sementes de adubos verdes do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, 2007.
E para mais detalhes , consulte:

MOBILIZANDO PARA O DESENVOLVIMENTO LOCAL SUSTENTÁVEL


A cada ano, vêm crescendo significativamente as ações de mobilização e participação dos agricultores familiares em torno de temáticas de seu interesse e voltadas para o desenvolvimento rural sustentável no município de Salinas.
Essa dinâmica vem ocorrendo em função do aprimoramento dos processos de organização, sobretudo sob a forma de constituição de um Conselho Municipal de Desenvolvimento Rural Sustentável, além de associações e outras formas organizativas. As evidências desse processo podem ser verificadas através dos resultados, o funcionamento do Conselho Municipal de Desenvolvimento Rural Sustentável, dos Conselhos/Associações Comunitárias organizados e Grupos/Associações de Produtores organizados.

ENERGIA SOLAR



Existem muitas formas que o produtor rural pode utilizar para reduzir os impactos ambientais de suas atividades. Como exemplo: a energia solar que pode ser utilizada de muitas maneiras, substituindo ações como a destruição de árvores para esquentar água em fogões de lenha e lançando carbono na atmosfera, contribuindo para o efeito estufa. Pode-se adotar a energia solar como forma de aquecimento d'água, e que tem custo muito menor que a energia elétrica, além de ser uma energia limpa, não polui, não consome combustível, a instalação é simples e sua manutenção mínima. No município de Salinas, adotar a energia solar seria uma opção vantajosa, onde o sol é soberano nessa região.
Saiba mais em:


9.2.10

DESENVOLVIMENTO SEM AGRESSÃO AO MEIO AMBIENTE



Um grupo de mulheres da Comunidade do Pavão que fica localizado no Vale do Bananal, a 20 km do Município de Salinas, formaram um grupo para produção de doces. Elas são agricultoras familiares e apesar das dificuldades, colocaram em prática essa forna de desenvolvimento sustentável.

Os doces produzidos são totalmente sem conservantes, feitos com frutos sem agrotóxicos, caseiros e com o verdadeiro sabor da fruta, e o melhor ainda, sem agredir o meio ambiente.


PRODUÇÃO DE ALIMENTOS SUSTENTÁVEL NO VALE DO JEQUITINHONHA

BIODIESEL

object width="425" height="344">